Siringoma

Siringoma

Atlas de Imagens

Tumor benigno bastante comum, usualmente múltiplo, representado por pequenas pápulas róseo-amareladas menores que 3 mm, simétricas, situadas nas pálpebras inferiores e região periorbital, principalmente de mulheres adultas. Algumas vezes podem ser translucentes ou císticos. São em grande parte de significado cosmético.

O siringoma geralmente aparece primeiro na puberdade; lesões adicionais podem se desenvolver mais tarde. Há uma forma de aparecimento súbito na adolescência que atinge o pescoço, tórax, abdome e pênis que é ohidradenoma eruptivo. A localização na vulva, axila e dorso das mãos tem sido encontrada.

A histologia é característica com dutos císticos em forma de vírgula e cordões epiteliais sólidos envoltos por estroma fibroso. A histogênese dos siringomas está provavelmente relacionada a elementos écrinos ou células-tronco pluripotenciais.

Friedman e Butler classificam o siringoma em quatro variantes: (1) forma localizada, (2) forma associada com a síndrome de Down (3), forma generalizada que engloba siringomas múltiplos e eruptivos, e (4) uma forma familiar.

Raramente os siringomas podem estar associados com a síndrome de Brooke-Spiegler, uma doença autossômica dominante caracterizada pelo desenvolvimento de múltiplos cilindromas, tricoepiteliomas e espiradenomas ocasionais. Na síndrome de Down os siringomas ocorrem de 6 a 36% dos casos, normalmente em mulheres acima dos 10 anos de idade.

Cuidados cirúrgicos
A principal razão para o tratamento é cosmético. Como os siringomas estão geralmente na derme, a remoção completa é muitas vezes sem sucesso e a recorrência é comum.

Tratamentos possíveis incluem:
• A excisão cirúrgica com sutura primária
• Eletrocautério
• Laser de dióxido de carbono ou Er: YAG
• Crioterapia
• Dermoabrasão
• Ácido tricloroacético

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquisar