Pápulas Perladas do Pênis

Pápulas Perladas do Pênis

Atlas de Imagens

As pápulas perladas ou hirsutas do pênis são pápulas brancas agrupadas, assintomáticas, que se desenvolvem em cerca de 8-48% do sexo masculino. Elas são benignas e não estão associados a uma etiologia infecciosa. O principal significado clínico é que são muitas vezes diagnosticadas erroneamente como condiloma (HPV), molusco contagioso ou outras doenças sexualmente transmissíveis.

A patogênese específica é desconhecida. Acredita-se ser uma lesão do espectro dos angiofibromas. As lesões apresentam-se como pápulas de cor pérola em forma de cúpula ou filiformes com 1 a 3 mm de diâmetro. Elas estão organizadas circunferencialmente em uma ou várias fileiras no sulco ou coroa da glande. As lesões raramente acometem o corpo do pênis. Afetam mais os jovens do sexo masculino na segunda e terceira décadas, mas as lesões também podem se apresentar em homens mais velhos ou mesmo em crianças a partir dos 11 anos. Tendem a ficar menos perceptíveis com a idade.  As pápulas perladas do pênis são observadas com mais freqüência em homens não circuncizados (22%) contra 12% em circuncizados, principalmente na raça negra. Curiosamente, quando esses homens fazem a circuncisão tardiamente, essas pápulas regridem.

O diagnóstico geralmente é baseado em achados clínicos característicos, e biópsia raramente é realizada para o diagnóstico. As características histopatológicas mostram uma morfologia papular com uma epiderme normal ou ligeiramente espessada sobrejacente a um estroma fibroso denso com inúmeros canais vasculares ectasiados e fibroblastos estreladas dispersos.

As lesões não necessitam de terapia específica. O paciente pode solicitar o tratamento por razões cosméticas. Trabalhos mais recentes sugerem regressação do quadro após circuncisão. Crioterapia e ablação por laser de CO2 têm sido relatados como tratamentos eficazes.

Artigos relacionados

Pearly penile papules regress in older patients and with circumcision

Pearly penile papules: absence of human papillomavirus DNA by the polymerase chain reaction.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquisar