Nevo Halo ou Nevo de Sutton

Nevo Halo ou Nevo de Sutton

Publicado em 13 de abril de 2015

                nevo_halo_peq_01

Atlas de Imagem

É um nevo melanocítico pigmentado envolto por uma faixa ou halo de despigmentação. Este fenômeno indica na maioria das vezes, o começo de uma regressão do nevo pigmentado central. A região da despigmentação, histologicamente, apresenta um infiltrado inflamatório, embora clinicamente não haja sinal de inflamação. A prevalência global do nevo de Sutton é de 0,9%, acometendo principalmente o dorso de adultos jovens, sendo mais comum na raça negra. Podem ser múltiplos, em 25 a 50% dos casos, ocorrendo simultaneamente ou sucessivamente.

O halo de despigmentação pode surgir envolvendo outras lesões como nevos congênitos, nevo de Spitz, nevo azul, melanoma maligno ou metástases do melanoma maligno, sendo esse o chamado fenômeno do nevo halo. O vitiligo está associado em até 26% dos casos. É provável que fatores imunológicos humorais e celulares na tentativa de destruir as células névicas centrais, levariam também a destruição dos melanócitos epidérmicos em volta do nevo. As vezes, o halo só é visualizado com a lâmpada de Wood. Os pêlos desta área podem apresentar canície ou pode haver alopecia areata no local.

A área de despigmentação pode persistir mesmo após o desaparecimento do nevo central. Quando o halo é simétrico, o nevo é regular  e ocorre em paciente jovem, este deve ser acompanhado com exames freqüentes e se possível deve ser fotografado. Por outro lado se o halo é assimétrico, o nevo tem um caráter atípico e ocorre em paciente idoso a biópsia, se possível excisional, é indicada.

Pesquisar