Melanose pustulosa transitória neonatal

Melanose pustulosa transitória neonatal

Publicado em 5 de junho de 2017

DERMATOSE BENIGNA  RARA  DO PERÍODO NEONATAL.

EPIDEMIOLOGIA:  PREDOMINA EM  RN  A TERMO, VARIANDO EM  0.2 A 15%.

ETIOLOGIA: AINDA  DESCONHECIDA.

QUADRO CLÍNICO: SURGE AO NASCIMENTO COMO VESICULAS E PUSTULAS ESTÉREIS, SEM ERITEMA CIRCUNJACENTE, PREDOMINANDO EM FRONTE, QUEIXO, PESCOÇO, PARTE SUPERIOR DO TRONCO E  ABDOMEN . EVOLUI PARA MACULAS HIPERPIGMENTADAS  CIRCUNDADAS POR COLARETE DE ESCAMAS.

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL INCLUI ERITEMA TÓXICO NEONATAL, MILIÁRIA, DOENÇAS VIRAIS OU BACTERIANAS.

TRATAMENTO: NÃO É NECESSÁRIO, VISTO A EVOLUÇÃO AUTOLIMITADA DA DOENÇA.

Pesquisar