Dermatose Papulosa Nigra (DPN)

Dermatose Papulosa Nigra (DPN)

Atlas Dermatose Papulosa Nigra

Dermatose papulosa nigra (DPN) é uma condição benigna cutânea mais comum na população negra (10 a 35%), particularmente nas mulheres. É uma variante da queratose seborréica, representada por pápulas hiperpigmentadas de 1 a 5 mm, pouco elevadas,  assintomáticas  e localizadas na face, pescoço e tronco. Histologicamente, assemelha-se à queratose seborréica. Exibem hiperceratose, acantose irregular, cistos córneos e marcada hiperpigmentação da camada basal.

A condição pode ser esteticamente indesejável para alguns pacientes. A DPN geralmente começa na adolescência e é rara em pessoas com menos de 7 anos. A incidência de dermatose papulosa nigra, bem como o número e o tamanho das lesões individuais, aumenta com a idade.
Provavelmene a DPN é determinada geneticamente, com 40-54% dos pacientes com história familiar de envolvimento. Acredita-se ser causada por um defeito nevóide no  desenvolvimento do folículo pilossebáceo. Hairston et al sugeriram que a dermatose papulosa nigra deva ser classificada dentro do grupo dos nevos epiteliais.

Nenhum tratamento é geralmente indicado para dermatose papulosa nigra, a menos que as lesões sejam cosmeticamente indesejáveis.  Terapêuticas agressivas têm sido complicadas por hiperpigmentação pós-operatória, hipopigmentação ou cicatrizes. Formação de quelóide é uma complicação potencial.  Curetagem abrasiva com ou sem anestesia, crioterapia superficial com nitrogênio líquido para pacientes de pele clara, eletrodissecção seguida de curetagem pode ser eficaz. Tomar cuidado com todas as terapias, minimizando a profundidade do tratamento. Dentre os lasers, podemos usar o de CO2 ou Nd:YAG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquisar